Multidimensionalidade

O acesso a outras dimensões


“O domínio do (..) acesso é fundamental (..). Ele nos permite viajar através do Multiverso.

Tudo que você precisa fazer é ter foco. Visualize o destino em sua mente.
Enxergue além do mundo que se apresenta à sua frente.
Quanto mais clara a imagem mais rápido e facilmente o portal irá surgir.”
Filme: Dr Strange

Diferente do filme, o portal multidimensional não se abrirá fora de você para que você passe através dele. Ele se abrirá dentro de você e expandirá para fora, formando uma merkaba multidimensional ao redor do seu corpo, que lhe possibilitará estar imerso em uma frequência diferente e acessar esta outra frequência de realidade.

Tudo começa com o desejo de vibrar, de estar imerso, em uma energia diferente da que você se encontra agora. Este não é um processo mental, lógico ou racional, logo não o fazemos com o nosso cérebro, e sim com o nosso corpo.

Uma energia ou dimensão não pode ser pensada, ela só pode ser sentida. Portanto, o primeiro passo para estar em contato com outras dimensões de frequência e com outras consciências é buscar senti-las com o seu corpo inteiro, em especial com o seu coração. Aqui, o centro pensante do processo é o coração, e se expande para fora para todas as demais partes do seu corpo. Trata-se de uma entrega passiva e permissão para que a energia flua de dentro para fora e através de você.

Há muitas opções de frequências para se “visitar”, frequentemente você descobrirá que um bom lugar para se estar (e praticar) é dentro da sua própria frequência. Também é o “lugar” onde muitos dos seus amigos espirituais e mentores irão te esperar para iniciar uma comunicação com você.


“- Não se pode vencer um rio sem submissão. Precisa render-se à correnteza e usar a força dela como sua.

– Controlar algo perdendo o controle? Não faz nenhum sentido.
– Nem tudo faz, nem tudo precisa fazer. Seu intelecto o levou longe na vida,
mas não levará você além de onde está. Renda-se Stephen, silencie o seu ego e o seu poder surgirá.”

Stephen não acreditava na sua própria capacidade em abrir o portal. Ele acreditava que havia alguma coisa faltando nele, que o impediria de abri-lo, por isto não conseguia. A nossa mente, o que acreditamos, o que tomamos como verdade para nós, dá o comando para o resto do nosso corpo para acessar ou bloquear funcionalidades e capacidades.

Na linguagem do corpo Emocional, ativações e desativações se traduzem em emoções de alta e baixa frequência, da seguinte forma: uma emoção de alta frequência como alegria, gratidão, amor, segurança ou confiança ativam (permitem, abrem) o seu campo energético. Isto acontece porque o seu corpo entende que aquilo é bom para você. Emoções de alta frequência são expansivas.

Da mesma forma, emoções de baixa frequência como dúvida, raiva, culpa ou medo bloqueiam (fecham, desativam) e criam uma barreira protetora em seu campo energético, para protegê-lo. Esta é, em realidade, a função das emoções de baixa frequência: a de defesa instintiva do Ser.

Acessar outras dimensões e consciências depende de dar o comando mental em conjunto com a permissão do corpo Emocional para abrir o acesso. É mais uma questão de permitir que a energia flua através de você do que ativamente querer forçar que alguma coisa aconteça. É um estado de permissão, de entrega. Se o “rio” que a Mestra menciona no vídeo for a energia Universal que flui através de nós, então o “controlar o rio através de perder o controle” será tornar-se um canal aberto, em que as águas deste rio possam fluir sem que o nosso Ego tente controlar a sua direção ou interferir com elas, pois toda tentativa de controle vibra na frequência do medo e da falta de confiança, que bloqueiam o canal.

Compartilhar